Essências florestais - silvicultura

O agronegócio florestal no Brasil, incluindo a exploração de madeira nativa e a silvicultura, mostra um PIB de 25 bilhões de dólares. O mercado global de produtos florestais movimenta 330 bilhões de dólares.

As florestas plantadas, advindas da silvicultura, somam 6,6 milhões de hectares, ocupados com eucalipto (64,7%), pinus (28,4%) e outras espécies (6,9%).

Ranking

A China lidera a área plantada com florestas com 77,2 milhões de hectares, seguida dos EUA (25,4 milhões) e Rússia (17 milhões).

Papel e celulose

A produção mundial de celulose e papel soma 573,8 milhões de toneladas, liderada pelos Estados Unidos (23,9%), seguidos da China (14,5%).

O Brasil ocupa a sétima posição no ranking mundial com 3,7%, produzindo 12,7 milhões de toneladas de celulose e 9,4 milhões de toneladas de papel.

Previsões indicam que até 2020 os investimentos no setor de papel e celulose montem a US$ 20 bilhões, expandindo a área plantada com florestas para tal finalidade de 2,2 milhões de ha para 3,2 milhões de ha.

Minas Gerais (23,2%) lidera os plantios florestais no Brasil. Em seguida vêm São Paulo (18,6%) e Paraná (14%).

Liderança

O eucalipto predomina, com 89,8% das plantações de Minas Gerais e 81,8% das de São Paulo. Mas, no Paraná, pelo clima mais frio, cai para apenas 16,6%, sobrepujado pelo pínus.
 
Apagão florestal

Em 2002, os estudiosos da silvicultura alertaram o governo sobre a falta de matéria-prima florestal. O plantio anual situava-se em 300 mil hectares, contra um corte de 500 mil hectares. Em 2006, a situação se equilibrou: o plantio anual havia subido para 630 mil hectares.

Ferro Gusa

Estima-se que um terço da produção nacional de ferro gusa utilize carvão vegetal como termorredutor na fabricação do metal. Metade do carvão advém de florestas plantadas de eucalipto, metade de madeira nativa.
 
Certificação

Existem dois principais selos de qualidade no setor florestal. O Programme for the Endorsement of Forest Certification (PEFC), com 207 milhões de hectares em 37 países, e o Forest Stewardship Council (FSC), com 103 milhões de hectares certificados em 79 países.

Cerflor

Segundo o Inmetro, existem 1,2 milhão de hectares de florestas plantadas certificadas no programa brasileiro de certificação florestal (Cerflor).
 
As exportações brasileiras de celulose e papel somam 4,7 bilhões de dólares, destacando-se a celulose (64%). Nas importações, o país gasta 1,3 bilhão de dólares, principalmente de papel (82,4%).
  
Parceria

As empresas do setor de celulose e papel têm estimulado a parceria florestal, que garante aos pequenos agricultores independentes um mercado seguro. Existem 376 mil hectares de áreas de fomento florestal, sendo 28,4% na Bahia, 18,5% em São Paulo e 16,45% no Paraná.
 
O consumo de toras de madeira oriundas da silvicultura divide-se entre os setores de celulose e papel (33%), madeireiro (28,4%), de lenha (23%) e carvão/siderúrgicas (13,4%), além de usos residuais.
 
Das florestas plantadas no Brasil, 1,72 milhão de hectares (28,1%) destinam-se à exploração de celulose e papel. 
 
Quebra ventos

Árvores também são utilizadas para proteger pomares, culturas e criações, porque afastam as correntes de vento e auxiliam na polinização de algumas espécies, combatem a erosão eólica dos solos e evitam o acamamento das culturas e a derriça de frutos. As árvores mais utilizadas como quebra-vento são o eucalipto, o pínus, a casuarina e a grevilha.

Anti efeito-estufa

Estima-se que as florestas plantadas no Brasil absorvam 60 bilhões de m³ de dióxido de carbono por ano.

 

Fibra

O Brasil detém a liderança mundial na produção de celulose branqueada de fibra curta, derivada do eucalipto. São 6,5 milhões de toneladas, especiais para a fabricação de papel sulfite, ou papéis higiênicos macios.
 
A celulose de fibra longa, típica de madeiras europeias, forma a base do papel-jornal. 


Reciclagem

A taxa de recuperação de papéis no Brasil chega a 45%. O campeão mundial é a Alemanha (74,5%), seguida do Japão (73,1%) e do Reino Unido (64,9%). O consumo brasileiro per capita de papel atinge 46,2 kg/ano.