Coelho

Coelho (Oryctolagus cuniculus) da família dos leporídeos, é nativo da Europa. Caça antiga, passou a ser criado por monges europeus medievais, especialmente na Bélgica e na França.

A criação para aproveitamento da carne foi disseminada a partir do século XVIII, desenvolvendo-se bem na América do Norte. Os maiores produtores são Estados Unidos, França, Espanha e Canadá.

No Brasil, a cunicultura é reconhecida como atividade comercial desde 1957, quando ocorreu a primeira exposição de coelhos em Leme (SP). O plantel nacional atinge trezentos mil animais, liderado pelo Rio Grande do Sul (33,9%).

As diversas raças de coelho existentes são classificadas pela sua aptidão em raças para corte (carne), pele, lã; e animais domésticos, como as raças anãs. De sabor suave, com pouco colesterol e fácil digestão, sua carne é recomendada para uma alimentação saudável e boa dieta.

Coelho x lebre

É muito comum a comparação entre coelhos e lebres. Quatro são as principais diferenças:

1. os láparos, coelhos recém nascidos, têm os olhos fechados ate o 6º dia, já as lebrinhas nascem com olhos abertos;
2. os coelhos dependem exclusivamente do leite materno até o 10º dia de vida, enquanto as lebrinhas, já nos primeiros dias, experimentam alimentos como capim e ração;
3. o coelho tem as orelhas, normalmente, menor que a cabeça enquanto as lebres sempre as têm maiores;
4. as lebres, ao correrem, o fazem em saltos de ziguezague, enquanto que os coelhos saltam em linha reta.

Coelho da Páscoa

O tempo de gestação de uma fêmea de coelho é de apenas 1 mês, com ninhadas de muitos filhotes. Um dia após o parto a coelha entra novamente no cio. Por isso o coelho se tornou um símbolo da fertilidade, expresso na Páscoa. Historicamente, isso significa a esperança de um nova vida.

Famosos

O coelho Sansão, da turma da Mônica, e o Pernalonga são muito famosos!

Coelho da Páscoa

O tempo de gestação de uma fêmea de coelho é de apenas 1 mês, com ninhadas de muitos filhotes. Um dia após o parto a coelha entra novamente no cio. Por isso o coelho se tornou um símbolo da fertilidade, expresso na Páscoa. Historicamente, isso significa a esperança de um nova vida.

 

Você sabia?

Os coelhos não são roedores, são lagomorfos. Os animais roem de tudo para gastar seus dentes, que não param de crescer.




Saiba mais

Sistema de produção/Emater/MG
http://goo.gl/P9Wjb

Produção básica/CNA
http://goo.gl/NKltQ

Raças (vídeo)
  http://goo.gl/hBviN 

Informações técnicas
http://goo.gl/oEJbw  
http://goo.gl/QrfkJ

Associação Científica Brasileira de Cunicultura
http://goo.gl/shdK4