Agricultura Primitiva

A palavra agricultura deriva do nome da deusa Ceres. Sua etimologia vem de ker, que significa "crescer", "criar".

A agricultura aparece apenas no Neolítico, período compreendido entre 8000 e 5000 a.C. O homem começa a dominar os metais - cobre, estanho e, enfim, o ferro -, forjando-os no fogo. Surgem as ferramentas de trabalho.

Sedentarismo

A produção rural permite o surgimento do sedentarismo, quando a espécie humana se fixa em determinados locais - passo decisivo da humanidade - e passa a praticar agricultura, cultivar a terra e criar animais, produzindo o próprio alimento.

Supera-se, assim, a dependência da coleta florestal, da caça e da pesca.

Deltas ou várzeas

As primeiras formas de agricultura surgem nos deltas - as várzeas - dos rios. Ali o solo sempre está rico de sedimentos orgânicos.

Os cultivos aparecem a princípio no Egito (rio Nilo), na Mesopotâmia, atual Iraque (rios Tigre e Eufrates), e na China (rios Amarelo/Huang He e Azul/Yang-Tsé).

Domesticação

Trigo, aveia e cevada foram os grãos inicialmente cultivados pelo homem.

Ovelhas e bovinos representaram as primeiras criações domesticadas.

Mitologia

Ceres é a deusa das plantas e do amor maternal. Na Grécia antiga, equivale a Deméter, filha de Saturno com Cibele. Seu templo ficava no monte Aventino, em Roma.

Ceres era retratada com um cetro, um cesto de flores e frutos e ostentava uma coroa elaborada com ramos de trigo.