Orquídeas


A família das orquidáceas apresenta vários gêneros e espécies, encontrados originalmente em todos os continentes. São consideradas as flores mais evoluídas do reino vegetal, com formas, tamanhos, cores e perfumes diversos.

Na Ásia tropical são conhecidas sete mil variedades de orquídeas. O Brasil apresenta 2,5 mil espécies nativas.

Os maiores produtores mundiais são Taiwan, Tailândia, China, Estados Unidos e Holanda.

História

A denominação orquídea foi dada por Theophrastus, discípulo de Aristóteles, que comparou suas raízes tuberosas aos testículos humanos (orquis, em grego). Por isso, na Idade Média, atribuíam-lhe propriedades afrodisíacas.

Meristema

Chama-se reprodução meristemática a técnica segundo a qual a planta se multiplica com base em sua gema de crescimento, como é o saco das orquídeas. Exige laboratórios especializados.

Gêneros

Catleias e lélias, com flores grandes e vistosas, são gêneros de orquídeas bastante apreciados no Brasil. Na última década, entretanto, os cultivos se aprimoraram, com novas tecnologias de hibridação e reprodução, resultando em grande variedade de novas orquídeas no mercado.

Destacam-se:

dendrobiuns, que apresentam hastes com pequenas flores, conhecidas como olhos-de-boneca;

•oncidiuns, que soltam cachos cheios de florzinhas amarelas, conhecidas como bailarinas;

•cymbidiuns, que se destacam pelo vigor das hastes florais.

Etimologia

A palavra orquídea é formada pela junção de duas palavras gregas orkhis – testículo, e idea ou eidos – forma, aspecto exterior; a alusão dá-se ao formato dos bulbos subterrâneos de orquídeas do gênero Ophrydineas.

Epífitas

Pelo fato de geralmente crescerem sobre as árvores, nos galhos se enraizando, muitas vezes as orquídeas são confundidas como plantas parasitas. Na verdade, porém, as orquídeas apenas utilizam as árvores como apoio, nutrindo-se dos elementos químicos e orgânicos que se acumulam nas cascas, na poeira dos ventos, na umidade do ar, jamais se utilizando da seiva das plantas que lhe fornecem apoio. Por isso são chamadas de epífitas, não parasitas.

Saiba mais

Associação Orquidófila de São Paulo
http://www.aosp.com.br/ 

Contatos de Associações
http://goo.gl/COLxF

Produção e comercialização/Paulo H. V. Rodrigues/ ESALQ
http://goo.gl/Bmy39

Orquidário Damianus
http://goo.gl/9k19Q 

Classificação por tipo/Orquidário Damianus
http://goo.gl/9k19Q 

Classificação por gêneros/Delfina de Araújo
http://goo.gl/wAKwP

Ocorrência por estado/Delfina de Araújo
http://goo.gl/l2CDu

Gêneros de híbridos/Delfina de Araújo
http://goo.gl/0I3XU