Mamona

Mamona (Ricinus communis), da família das euforbiáceas, tem origem controversa (alguns afirmam que é proveniente da América; outros, da Ásia).

A produção mundial alcança 1,2 milhão de toneladas, liderada por Índia (55%) e China (14%), com o Brasil (6%) em terceiro lugar.

A área plantada no Brasil soma 156 mil hectares, estimulada nos últimos tempos pelo mercado de biodiesel. A Bahia lidera a produção, com 88 mil toneladas, respondendo por 85,4% da colheita de mamona.

A maioria das usinas de biodiesel concentra-se na região Nordeste.



Laxante

O antigo óleo de rícino, poderoso laxante, advém da extração da semente da mamona, muito tóxica. Esse óleo não apresenta uso alimentar.

Qualidade

Único glicerídio solúvel em álcool, o óleo de mamona é um excelente lubrificante, com elevadas viscosidade e aderência. Uma de suas características é o baixo ponto de solidificação, de - 30°C.

Também é usado nas indústrias têxtil, farmacêutica e cosmética.

Saiba mais

Cultivo/IAC
http://goo.gl/McPt4

Informações técnicas/Biodisielbr.com
http://goo.gl/HK52V

Cultivares/Embrapa
http://goo.gl/Q3m3v 

Sistema de produção/Embrapa
http://goo.gl/MsBhg